segunda-feira, 18 de junho de 2012

O SEU ÚLTIMO ENCONTRO

Por JOEL R. BEEKE.

Prezado leitor:

Provavelmente não nos conhecemos e possivelmente jamais nos veremos. No entanto, quero escrever-lhe uma carta pessoal. E isso porque nós dois temos mais em comum do que você imagina. Ainda que nunca venhamos a nos conhecer pessoalmente neste mundo, um dia estaremos próximos um do outro, porque ambos possuímos uma alma imortal. E nessa alma deveremos nos apresentar um dia diante de Deus, nosso Criador, no grande dia do juízo final. "Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo" (Hb 9.27).

Você pode fazer de tudo para afastar de si o pensamento sobre a morte. Mas não pode escapar ao fato de que um dia você irá morrer. Você morrerá e se encontrará com Deus. Talvez você evite pensar na morte porque sabe que depois da morte vem o juízo, tão certo como depois do dia vem a noite. Portanto, quero fazer-lhe uma pergunta séria e solene: O que lhe acontecerá quando você morrer?

A Bíblia, a consciência, o senso comum, tudo declara que existe uma eternidade a ser encarada após a morte. Por isso, para o seu próprio bem, não fuja desta pergunta: Você está preparado para morrer e ser julgado por Deus?

Lamento ter de dizer que hoje há milhões de pessoas que pensam estar preparadas para a morte e para encarar o Juiz, mas infelizmente passarão a eternidade no inferno. É exatamente isso o que o Senhor nos diz em Sua santa Palavra: "Muitos me dirão naquele dia: 'Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?'. Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês que praticam o mal!" (Mt 7.22,23).

Alguma vez você refletiu sobre o terrível despertar que espera aqueles que passam por esta vida pensando que está tudo bem com eles, mas que ouvirão essas palavras terríveis: "Afastem-se de mim vocês que praticam o mal"?

Será que você e eu estaremos entre os muitos decepcionados que ouvirão essas palavras terríveis?

Alguns passarão a eternidade no Paraíso, outros no inferno.

Em primeiro lugar, devo dizer-lhe, honestamente, que a Bíblia declara (especialmente em Mateus 7) que a maioria dos seres humanos passará a eternidade no inferno. "Larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela" (Mt 7.13). Talvez isso lhe pareça cruel, mas isso ocorre não porque Deus seja cruel, mas porque nós, seres humanos, somos extremamente cruéis. Deliberadamente desafiamos o nosso Criador, desprezamos Seu amor e quebramos Seus mandamentos (que nos foram dados para o nosso bem-estar eterno). Em virtude de nossa rebelião e perversidade, merecemos a morte e o inferno. Essas são as únicas coisas que merecemos, "pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Rm 3.23), e "o salário do pecado é a morte" (Rm 6.23).

Que tipo de gente está incluído nessa vasta multidão destinada ao inferno?

1 - Todos os ímpios terminarão no inferno. Isso inclui aqueles que vivem abertamente em perversidade, como os que passam o tempo em bares, gastando seu dinheiro com bebidas e drogas; os que praticam imoralidade sexual; os que não respeitam o Domingo como o Dia do Senhor; os que diariamente assistem com prazer a inúmeras demonstrações de pecado na TV; os que usam o nome de Deus em vão; os que vivem em constante rebelião contra os pais e todo tipo de autoridade constituída por Deus.

Tais pessoas ímpias terminarão no inferno a menos que o Senhor os leve a um verdadeiro arrependimento e conversão mediante a Sua graça. Você pertence a esse grupo? Se sim, eu o exorto a buscar a graça que produz arrependimento, confissão e conversão, antes que seja tarde demais para você buscar o Senhor!

2 - Toda pessoa mundana terminará no inferno. Refiro-me àqueles que não planejam pecar, mas cujas vidas estão intrinsecamente ligadas ao mundo, de tal forma que vivem sem nenhum pesar ou arrependimento enquanto continuamente fazem coisas como colocar-se acima de Deus; desejar as riquezas do mundo mais do que as riquezas do Reino de Deus; promover os desejos carnais em oposição à vontade de Deus revelada na Palavra; valorizar as necessidades mundanas acima da necessidade de um Salvador; temer mais as consequências do pecado do que o Deus santo que odeia o pecado; crer que o que as pessoas pensam a seu respeito é mais importante do que o que Deus pensa a seu respeito. Estes passarão a eternidade no inferno a menos que o Senhor os leve a um verdadeiro arrependimento e conversão mediante o poder de Sua graça. Você pertence a esse grupo?

Se pertence, devo dizer-lhe que o Céu não é o seu lugar. Lá você não seria feliz, porque o Senhor do Céu não é seu amigo; você ama o que Ele odeia, e odeia o que Ele ama. A Palavra de Deus não é sua conselheira, a Sua luz não lhe agrada, e a Lei do Senhor não é o seu guia. Você não tem interesse em ouvir sobre Ele, muito menos de falar sobre Ele. Estar para sempre na presença de Deus seria algo que você não poderia suportar, e a convivência com os santos e com os anjos lhe seria um fardo. Em sua vida cotidiana, a Bíblia nada significa para você, e Jesus Cristo ainda menos. A salvação não é uma questão fundamental para você. "Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo resplandecerá sobre ti!" (Ef 5.14). "Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro" (Mt 6.24).

3 - Muitas pessoas religiosas terminarão no inferno. Sim, é possível ser condenado ao inferno apesar de ter frequentado igrejas fiéis, ter sido estudante assíduo ou mesmo professor de escola dominical, ter sido obreiro ou pastor. A religião pode ser nosso assunto preferido, nossas conversas podem ter Jesus Cristo como tema principal, e nosso viver pode parecer impecável - tudo isso sem que nossa alma tenha sido salva da perdição eterna!

Podemos ser tão religiosos quanto as cinco virgens insensatas de Mateus 25, tendo a mesma confissão, a mesma expectativa, as mesmas lâmpadas e a mesma aparência de piedade das cinco virgens - e mesmo assim podemos nos perder para sempre. Podemos ser tão religiosos quanto Ahab, que "rasgou as suas vestes, vestiu-se de pano de saco e jejuou. Passou a dormir sobre panos de saco e agia com mansidão" (1Rs 21.27), e mesmo assim não se havia convertido.

Sim, é possível experimentar convicções superficiais de pecado e ter a impressão de contemplar a Deus e Seus atributos - inclusive reconhecer o pecado e de certa forma humilhar-se, gemer e orar, temer cometer pecado de novo - e mesmo assim ser impedido de entrar no Reino de Deus. Pensemos em Caim, Saul, Judas.

Precisamos mais do que uma religião de sentimentos, mais do que frequentar uma igreja. Precisamos da obra irresistível e regeneradora do Espírito Santo para nascer de novo e assim experimentarmos a conversão. Somente então poderemos amar a Deus com todo o nosso ser (que é o ingrediente que falta em nossos exemplos anteriores) e desejar a Deus como o viajante sedento deseja água fria. Somente então a graça de Deus nos permitirá preparar-nos para o nosso encontro com o Senhor. "Portanto, cuidado para que a luz que está em seu interior não sejam trevas" (Lc 11.35).

Como posso saber se estou incluído naqueles que irão para o Céu?

O caminho para a vida eterna é estreito e apertado.

Todos aqueles que irão ao Céu confessarão que sua salvação foi um grande milagre da graça de Deus. Serão pessoas que verdadeiramente nasceram de novo pelo poder do Espírito Santo (veja João 3). Serão pessoas convertidas por Deus, o que significa três coisas: 1) uma profunda tristeza por causa de sua própria iniquidade; 2) uma imensa alegria pela salvação em Cristo; 3) uma sincera gratidão a Deus (cf. Rm 7.24,25; Sl 50.15).

1 - Quando o Espírito Santo começa uma obra de salvação na vida do pecador, Ele não começa revelando a Cristo. Devido à nossa natureza pecaminosa, não há lugar para Cristo em nossos corações. O que Ele faz é confrontar o pecador com sua trágica situação diante de Deus. O pecador é levado a experimentar tristeza e angústia no coração por seus inúmeros pecados atuais em pensamentos, palavras e ações; tristeza e angústia no coração por viver sem Cristo, sem Deus e sem esperança no mundo; tristeza e angústia no coração ao compreender que o pecado original devastou seu ser, tornando-o uma fonte contaminada e poluída; tristeza e angústia no coração ao perceber que não pode salvar-se a si mesmo, que o faz implorar: "Senhor, tu és justo e tens todo o direito de separar-me de ti para sempre, mas haverá algum caminho em ti mesmo para escapar do teu castigo e ser restaurado à tua misericórdia?".

Você se considera também um pecador miserável, culpado, perdido - sem esperança alguma de salvação em si mesmo?

2 - Quando o pecador percebe que não há futuro para ele além da condenação eterna, e o Espírito Santo o capacita a entregar-se a Deus como seu único refúgio, esse mesmo Espírito Santo lhe mostrará o indescritivelmente rico e magnífico caminho de salvação e libertação provido por Deus, pelo sangue e pelo sacrifício perfeito de Jesus Cristo. O pecador é levado, então, a experimentar sua necessidade de Cristo; é levado a ter uma visão bela, completa e relevante da obra de Cristo a seu favor; recebe uma revelação de Cristo por meio da Palavra e do Espírito, por meio da qual compreende o modo como Cristo cumpriu plenamente a Lei e levou sobre Si o castigo completo do pecado no lugar de pecadores caídos e desprezíveis; recebe a aplicação da obra de Cristo, recebendo Cristo como seu Salvador e Senhor.

Você experimentou Cristo como o caminho de Deus para a sua salvação? Experimenta o desejo de conhecer mais a Cristo?

3 - Finalmente, aqueles que verdadeiramente experimentam o caminho da salvação em Jesus Cristo expressarão também uma profunda gratidão por tão grande livramento: "Como posso retribuir ao SENHOR toda a sua bondade para comigo?" (Sl 116.12). Sim, eles desejam entregar tudo - corpo e alma - nas mãos do Senhor por toda a eternidade, prostrar-se aos Seus pés em submissão verdadeira, e confessar: "Seja feita a tua vontade nos céus e na terra". Apesar de nossas transgressões, desejamos acima de tudo viver para a glória de Deus, e servir ao nosso próximo com amor.

Prezado leitor, examine-se a si mesmo.

Por qual caminho está indo?

Você anda pelo caminho amplo e espaçoso da perdição eterna ou pela trilha apertada da vida eterna? Neste mundo existem muitos caminhos diferentes, mas no mundo espiritual existem apenas dois, os quais nunca se interceptam. São tão opostos um ao outro como a escuridão é da luz, como Satanás é diferente de Deus, como o inferno é diferente do Céu. Somente Deus, em Sua graça, pode nos tirar do caminho espaçoso que leva à perdição e nos colocar no caminho estreito da vida eterna.

Pecador, eu rogo a você que se afaste do caminho da destruição, do pecado e da maldade. Implore a Deus por uma verdadeira conversão, implore Àquele que disse "você precisa nascer de novo", e "o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido". Sua alma está perdida e sua condição é terrível diante de Deus, por isso, clame ao Senhor para que Ele encontre lugar em seu coração para a mensagem do Evangelho, a mensagem de Jesus Cristo crucificado.

Deixo-lhe uma última advertência. Nos vinte e sete livros do Novo Testamento o inferno é mencionado 234 vezes. Se o caminho dos homens tivesse 27quilômetros, haveria 234 placas de sinalização com o seguinte aviso: "Este caminho leva ao inferno". Mesmo assim você permaneceria nesse caminho? Enquanto você permanecer como um pecador descrente, sem arrependimento, sem Cristo, satisfeito consigo mesmo, você continuará nesse caminho rumo ao inferno. O inferno é o fim de uma vida religiosa ou mundana que permanece sem Cristo.

Esta breve mensagem é também um outro aviso enviado a você pelo Senhor, para adverti-lo que todos os caminhos do homem terminam na morte. "Busquem o SENHOR enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto" (Is 55.6).

Quantos outros avisos o Senhor enviará a você, até que seu tempo termine, e chegue o dia em que você estará diante de seu Criador, para enfrentar o juízo?

Por amor à sua própria vida, tenha pressa. O fio de sua existência ainda não foi cortado, mas a cada dia que passa vai ficando mais fino e frágil. O Senhor ainda o chama: "Juro pela minha vida, palavra do Soberano, o SENHOR, que não tenho prazer na morte dos ímpios, antes tenho prazer em que eles se desviem dos seus caminhos e vivam. Voltem! Voltem-se dos seus maus caminhos!" (Ez 33.11).

A porta da graça ainda está aberta. Você ouvirá a voz de Cristo antes que seja tarde? "Beijem o Filho, para que ele não se ire e vocês não sejam destruídos de repente, pois num instante acende-se a sua ira. Como são felizes todos os que nele se refugiam!" (Sl 2.12).

Todos aqueles que vivem sem Deus na terra viverão sob a ira de Deus no inferno. Como será terrível experimentar junto com o homem rico de Lucas 16, o inferno onde "estou sofrendo muito neste fogo" (Lc 16.24).

Prezado amigo, minha intenção é adverti-lo com amor. Nem você nem eu poderemos escapar da morte. Será um encontro ao qual não poderemos faltar, nosso último encontro, aconteça o que acontecer.

Você está preparado para o seu último encontro? Está preparado para morrer?

Joel R. Beeke é presidente e professor de Teologia Sistemática no Puritan Reformed Theological Seminary. É pastor da Heritage Netherlands Reformed Congregation, editor de Banner of Sovereign Grace Truth, diretor editorial de Reformation Heritage Books, presidente da Inheritance Publishers e vice-presidente da Dutch Reformed Translation Society, em Grand Rapids, Michigan, Estados Unidos. É autor, co-autor e editor de mais de 50 livros, dentre os quais Paixão pela Pureza: conheça os puritanos (Editora PES), Vencendo o Mundo e o magnífico Vivendo para a glória de Deus: uma introdução à fé reformada (ambos publicados no Brasil pela Editora Fiel).

Fonte: Biblioteca de la Iglesia Reformada.
http://www.iglesiareformada.com/Beeke_Cita_Faltaras.html

Traduzido do espanhol por Fábio Vaz.

2 comentários:

Rev. Geremias Vale disse...

Excelente reflexão e exortação esta de Joel R. Beeke.
Fábio, você esta de parabéns tanto por escrever textos lúcidos, importantes e bíblicos, quanto trazer ao blog grandes mensagens como esta que ora comento
abç

Fábio Vaz disse...

Obrigado, grande amigo. Aguardando teus posts!