quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

OS OTÁRIOS, A IDOLATRIA E A MARIOLATRIA

Recentemente um padre católico-romano chamou os protestantes de "otários" por afirmarem que podem achegar-se a Deus sem Maria. Como diz o velho ditado: "Roma, sempre a mesma!". Sempre a mesma imundície. Otários são os pobres coitados que deixam-se arrebatar pela grosseira idolatria romanista. Otários são os infelizes que depositam sua confiança e seu destino eterno em ídolos e imagens que "têm boca, mas não podem falar, olhos, mas não podem ver; têm ouvidos, mas não podem ouvir, nariz, mas não podem sentir cheiro; têm mãos, mas nada podem apalpar; pés, mas não podem andar; e não emitem som algum com a garganta. Tornem-se como eles aqueles que os fazem e todos os que neles confiam" (Sl 115.5-8). Sim, os idólatras acabam ficando iguais a seus ídolos, tão inúteis quanto as imagens que tanto veneram. Otários são aqueles miseráveis que se encurvam diante de imagens de madeira; que se prostram diante de imagens de gesso; que acendem velas para estatuetas de barro. Otários são os reféns de uma falsa igreja, prisioneiros de um falso cristianismo, que na verdade não passa do antigo paganismo romano com um verniz pseudocristão. Roma, sempre a mesma imundície!


A estupidez é a característica marcante da idolatria. As Escrituras deixam bem claro que idolatria é coisa de tolos, ou, nas palavras do padre, de "otários". O profeta Isaías deixa isso bem claro: "Todos os que fazem imagens nada são, e as coisas que estimam são sem valor. As suas testemunhas nada veem e nada sabem, para que sejam envergonhados. Quem é que modela um deus e funde uma imagem, que de nada lhe serve? Todos os seus companheiros serão envergonhados; pois os artesãos não passam de homens. Que todos eles se ajuntem e declarem sua posição; eles serão lançados ao pavor e à vergonha. O ferreiro apanha uma ferramenta e trabalha com ela nas brasas; modela um ídolo com martelos, forja-o com a força do braço. Ele sente fome e perde a força; passa sede e desfalece. O carpinteiro mede a madeira com uma linha e faz um esboço com um traçador; ele o modela toscamente com formões e o marca com compassos. Ele o faz na forma de um homem, de um homem em toda a sua beleza, para que habite num santuário. Ele derruba cedros, talvez apanhe um cipreste, ou ainda um carvalho. Ele o deixou crescer entre as árvores da floresta, ou plantou um pinheiro, e a chuva o fez crescer. É combustível usado para queimar; um pouco disso ele apanha e se aquece, acende um fogo e assa um pão. Mas também modela um deus e o adora; faz uma imagem e se encurva diante dela. Metade da madeira ele queima no fogo; sobre ela ele prepara sua refeição, assa a carne e come a sua porção. Ele também se aquece e diz: 'Ah! Estou aquecido; estou vendo o fogo'. Do restante faz um deus, seu ídolo; inclina-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: 'Salva-me; tu és o meu deus'. Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender. Ninguém pára para pensar, ninguém tem o entendimento para dizer: 'Metade dela usei como combustível; até mesmo assei pão sobre suas brasas, assei carne e comi. Faria eu algo repugnante com o que sobrou? Iria eu ajoelhar-me diante de um pedaço de madeira?'. Ele se alimenta de cinzas, um coração iludido o desvia; ele é incapaz de salvar a si mesmo ou de dizer: 'Esta coisa na minha mão direita não é uma mentira?'" (Is 44.9-20). Como é estúpida a idolatria! Como são tolos os idólatras! Como são sem entendimento todos aqueles que se prostram diante de imagens, que adoram - "veneram", segundo os padres - seres criados em vez do único Criador! Sim, a idolatria é coisa de otários.


Além de crassa estupidez, idolatria é pecado. Louvar, cultuar, adorar ou mesmo "venerar" qualquer ser que não seja o Criador, é abominável para Deus. E o Senhor deixa isso bem claro, inúmeras vezes, nas páginas da Bíblia. Eis somente algumas poucas passagens que os otários, digo, os romanistas, insistem em ignorar:


"Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o SENHOR, o teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e obedecem aos meus mandamentos" (Ex 20.4-6).


"Eu sou o SENHOR; este é o meu nome! Não darei a outro a minha glória nem a imagens o meu louvor" (Is 42.8).


"Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis. Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coração, para a degradação do seu corpo entre si. Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém" (Rm 1.22-25).


Sim, trocaram a glória de Deus pelas imagens. Trocaram a verdade de Deus pela mentira. O louvor, a adoração e as ações de graças que somente devem ser prestados ao Deus vivo, os idólatras os entregam a seus ídolos de madeira, gesso e barro, seus "santos" e "santas", homens e mulheres mortos há muito tempo e que não podem ajudar ninguém. Somente o Senhor é o "Deus imortal" (Rm 1.23). Quão tola é a idolatria! Quem são os "otários" agora?


Certa vez, o povo da cidade de Listra tentou adorar a Paulo e Barnabé, pois os haviam confundido com os deuses Hermes e Zeus, respectivamente. Qual a resposta dos apóstolos de Cristo? "Homens, por que vocês estão fazendo isso? Nós também somos humanos como vocês. Estamos trazendo boas novas para vocês, dizendo-lhes que se afastem dessas coisas vãs e se voltem para o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há" (At 14.15). A muito custo conseguiram impedir a multidão de adorá-los. De acordo com a mentalidade romanista, eles poderiam muito bem ter dito: "Homens, não nos adorem como deuses, mas podem venerar-nos como santos, acendendo velas e fazendo orações para nós, honrando-nos como homens de Deus". Ora, Paulo e Barnabé não fizeram nada disso. Ao contrário, chamaram a atenção da multidão para "o Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há". Somente esse Deus é digno de receber adoração! Idolatria é loucura!


Quando João tem a "brilhante ideia" de prostrar-se diante de um anjo para adorá-lo, o anjo o repreendeu, dizendo: "Não faça isso! Sou servo como você e como os seus irmãos que se mantêm fiéis ao testemunho de Jesus. Adore a Deus!" (Ap 19.10). Os romanistas prostram-se até mesmo diante de imagens de anjos, acendem velas para eles também. Adorem a Deus, queridos! Quão insensata é a idolatria! Diante da atitude de Paulo, Barnabé e do anjo que repreendeu a João, que são os "otários" agora???


Os católico-romanos insistem em afirmar que não "adoram", apenas "veneram" os santos. Pergunto: qual a diferença? Na prática, qual a diferença? Quando um devoto acende sua vela,  se ajoelha diante de uma imagem, e "reza" para aquela entidade, agradecendo, pedindo, suplicando, louvando e elogiando, por acaso - pergunto - isso não é o mesmo que adorar? Quando um católico-romano diz que confia em Jesus e em Maria para a sua salvação, não está trocando a verdade de Deus pela mentira, e glorificando um ser criado em lugar do Criador? Honestamente...


Sim, idolatria é estupidez. Tendo a Bíblia, insistem em suas práticas antibíblicas. A Palavra de Deus declara claramente que "há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus" (1Tm 2.5). Nada de outros mediadores, nada de "co-redentora", nada de "medianeira"! Há um só mediador, Jesus Cristo. A Bíblia é clara. Quão tola é a idolatria!


A idolatria, quando aplicada especificamente a Maria, é conhecida como mariolatria. É um dos pecados preferidos dos romanistas, sem dúvida. "Nada sem Maria", dizem, sentindo-se orgulhosos de sua afronta a Deus. Mas, o que a própria Maria disse?


Ao ser informada pelo anjo Gabriel de que seria a mãe do Messias, Maria respondeu com um maravilhoso cântico, conhecido como Magnificat. Veja como Maria começou o cântico:


"Minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador" (Lc 1.46,47, ênfase acrescentada). "Meu Salvador!". Maria declara que Deus é o seu Salvador. Quem precisa de salvação? Por acaso não são os pecadores que precisam de salvação? Aqui cai por terra toda a estapafúrdia mitologia romanista sobre Maria. Aqui é desmascarada a insensatez da mariolatria. Quão tola é a idolatria! Quem são os otários agora???


Se Maria fosse tão importante como dizem os romanistas, será que a Bíblia não faria menção  disso? Se fosse correto adorar, digo, "venerar" Maria e os santos e as santas e os anjos, etc, será que a Bíblia não nos daria instruções para fazê-lo? Quão tola é a idolatria!


Os romanistas ainda acusam, tola e ingenuamente, os protestantes de "odiar" Maria. Como poderíamos odiar a mãe de nosso Senhor Jesus Cristo? Maria foi uma serva de Deus, uma mulher corajosa (ao aceitar tornar-se a mãe do Messias, sabia que sua vida estaria em perigo) e um exemplo de piedade cristã. Não odiamos Maria, pelo contrário: nós, protestantes, honramos a verdadeira Maria, a Maria da Bíblia e da História. Quem odeia Maria são aqueles que a substituíram por uma lenda antibíblica e que agora rendem a glória devida somente a Deus a uma fraude que leva o nome de Maria. Quão estúpida é a idolatria!


Quem são os "otários" agora?

17 comentários:

janio ramos morais mg disse...

a paz do senhor andre,eu nao consegui ler todo o seu poste,por que eu fiquei com vergonha, e tristeza de ver um post como este. justo em um blog de apologia como e a sociedade calvinista , eu sou um novo convertido e ja aprendi muito com os seus estudos. mais hoje voçe extrapolou quando nomeou os catolicos-romano de otarios,o APOSTOLO PAULO disse em primeiro aos corintios cap;4v12se somos injuriados bendizemos,eu sou protestante eu sei que a theologia reformada e uma bençao ,e voçe sabe que os reformadores nao erram arrogantes,eles defendiam a sã doutrina com zelo afinco e amor,eles erram contra as heresias e nao pessoas,e que graça tem chutar um morto espiritual??fica com DEUS e mostre que voçe e um calvinista.calvino foi expulso da igreja que ele era pastor,ele disse que nao voltaria mesmo que vivesse mil vidas,e voçe sabe da historia da vida dele, muito mais do que eu que a descubri a pouco tempo .se eu fosse voçe me retrataria, porque o jugo que nos recebemos e suave e o nosso senhor e manso. do seu irmao em cristo janio de minas gerais.

Fábio Vaz disse...

Prezado Jânio:
Confesso que escrevi este post ainda no calor da indignação. Porém, não fique triste por isso. Quando trata-se da defesa da fé (apologética), os ânimos realmente costumam se exaltar, mas isso não diminui nosso Cristianismo e nem constitui arrogância. Colocar-se ao lado da Verdade não é arrogância! Quanto ao "tom" do post, ele também não destoa do tom apologético dos autores bíblicos e dos reformadores. Leia, por exemplo, as palavras de Jesus sobre os fariseus em Mateus 23. Acha que Ele foi arrogante? Eu penso que Ele simplesmente denunciou a falsidade daqueles homens supostamente religiosos. Você mencionou o Apóstolo Paulo, portanto citarei Paulo. Ao referir-se aos falsos apóstolos de seu tempo, ele disse: "Pois tais homens são falsos apóstolos, obreiros enganosos, fingindo-se de apóstolos de Cristo. Isto não é de admirar, pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Portanto, não é surpresa que os seus servos finjam que são servos da justiça. O fim deles será o que as suas ações merecem" (2Co 11.13-15). Ele chamou os gálatas de "insensatos" (Gl 3.1) e os cretenses de "sempre mentirosos, feras malignas, glutões preguiçosos", citando um antigo poeta cretense, com aprovação (veja Tt 1.10-16). Ele chamou depreciativamente de "mulherinhas" aquelas que se deixavam enganar pelos falsos mestres (2Tm 3.6, ARA). Ele enfrentou Pedro em Antioquia (e pelo texto grego, acredite, ele não foi nada delicado com Pedro, cf. Gl 2.11). Quando o verdadeiro Evangelho de Cristo estava sob ataque, Paulo não media palavras. Assim como o próprio Pedro (veja o que ele fala dos falsos mestres em 2Pe 2.1-22). Leia também a epístola de Judas. Esses homens não eram arrogantes, estavam somente agindo como verdadeiros servos de Deus, ao denunciar os falsos mestres e suas heresias. O Apóstolo João fala de um tal de "Diótrefes, que gosta muito de ser o mais importante entre eles", e que "não nos recebe" (3Jo 9,10). Citando inclusive o nome daquele falso pastor. Paulo também citou nomes de inimigos do Cristianismo: Demas (2Tm 4.10) e Alexandre, o latoeiro ou ferreiro (2Tm 4.14). Nem Paulo nem Pedro nem Judas nem João eram arrogantes; estavam simplesmente cumprindo seu papel de servos de Deus, defendendo a Igreja de Deus. O que fazer quando lobos atacam as ovelhas? Não é hora de gentilezas. Jesus também não foi arrogante ao repreender severamente os fariseus.
Você mencionou também os reformadores e citou Calvino. Com certeza os reformadores não foram homens arrogantes. Mas leia a obra de Lutero, publicada pela Editora Fiel, "Nascido Escravo", um resumo de um livro que ele publicou rebatendo os ensinos de Erasmo de Roterdã. Se você lesse as palavras de Lutero para Erasmo, diria que fui até gentil e bondoso demais em meu humilde post! E Calvino chamava de "monstro", entre outros epítetos, alguns de seus adversários que costumavam perverter o ensino bíblico. Lutero e Calvino não eram arrogantes, apenas defendiam, com todas as suas forças, seus rebanhos contra os lobos devoradores.
Pessoas estão indo para o inferno, caríssimo Jânio, e enquanto isso alguns arrogantes nos chamam de "otários" porque ensinamos o Evangelho de Cristo, o Evangelho da salvação. Não é hora de ficar calado. Precisamos ser simples como as pombas, sim, mas também astutos como as serpentes. E diante das afrontas de um idólatra, devemos ter a mesma atitude dos reformadores Lutero e Calvino, dos apóstolos, dos profetas (veja Isaías, Jeremias e a linguagem chocante de Ezequiel, por exemplo) e do Senhor Jesus.
Grande abraço e fique na paz.

Carmem Regina Vijande Pedrozo disse...

Falaste tudo, Fábio. Eu também como Jânio, aprecio a moderação, mas com certea precisamos de pessoas com conhecimento que defendam a verdadeira doutrina cristã.
Carmem Pedroo

Gelson Machado disse...

Jânio, concordo com cada palavra sua. E Carmem, defender a verdadeira doutrina cristã, não é o que nosso querido Fábio está fazendo, quando destila tanto veneno, no lugar de PERDOAR.

Fábio Vaz disse...

Querido Gelson, o que aconteceria se Lutero tivesse "perdoado" Tetzel e ficado omisso no caso das indulgências? O que aconteceria se ele ficasse calado diante dos prelados católicos na Dieta de Worms? Defender a verdadeira doutrina cristã, nosso querido Gelson, é combater no campo das ideias, e não ficar de braços cruzados (o que é bem mais confortável, certo?). De qualquer modo, a julgar pelo seu comentário, ou você não leu ou não entendeu os argumentos contra a idolatria no post e minha explicação para o "tom" do post na resposta ao comentário de Jânio, inclusive com passagens bíblicas (nenhuma questionada por você, por sinal). E se prefere partir para ataques pessoais, querido Gelson, não responderei mais seus comentários, pois parece-me que você entende de "destilar veneno" bem mais do que eu...

Gelson Machado disse...

Prezado Fábio, permita-me parafraseá-lo:
"Confesso que escrevi o comentário ainda no calor da indignação. Porém, não fique triste por isso. Quando trata-se da defesa da fé, os ânimos realmente costumam se exaltar, mas isso não diminui nosso Cristianismo e nem constitui arrogância. Colocar-se ao lado da Verdade não é arrogância!"
Perdoe-me! Não devia ter utilizado os termos "destila tanto veneno", foi realmente uma inconsequência minha.
Você como Pastor, certamente tem muito mais propriedade para falar do assunto do que eu, pois estudou para isto.
Sou apenas um cristão que busca o compreender e perdoar, não um estudioso dos movimentos das Igrejas e Religiões, principalmente aquelas que ficaram no passado, mas deram origem ao que temos hoje.
Dar tanto valor ao que aquele 'padre' falou é exatamente o que ele quer.
Perdoá-lo e esquece-lo, talvez fosse sim a melhor alternativa, pois somente quem o ouviu nauquele dia, saberia dos absurdos proferidos por ele. O que estamos fazendo e dar mais publicidade ao fato.
Bom, esta é minha humilde opinião.

Rev. Geremias Vale disse...

boa tarde!
Fábio, voc1ê esta de parabéns pelo texto que escreveu,não se trata de veneno mostrar-se firme diante do erro, se Paulo tivesse usado a "teologia da moderação" roma ainda dominaria a mentes, e quem acha o Fábio demasiadamente duro em suas ponderações, demonstra que não conhece a história da igreja e nunca leu apologética de verdade!
e para tal, recomendo que sejam lidas as obra de lutero, suas controvérsias; os padres apologistas, de uma editora católica, que faz parte da série patrística e tantas outras obras peso, para então ver o que estamos dizendo, e analisando, se hoje chamamos o romanismo de religião de cegos, os protestantes chamavam de "a mulher montada sobre a besta11" e etc...
é isso aí fábio
muito bom o texto.

Anônimo disse...

O erro cometido aqui é o mesmo de sempre. O protestante só lê o que interessa. Um versículo ou parte do texto. O texto diz que Jesus é o único mediador. Sim. Mas se lermos até o final percebemos que o texto fala da mediação que trás a redenção do gênero humano. Não estamos falando de intercessão para se obter graças e favores de DEUS. E o catolicismo não ensina diferente. Só há um Senhor e um só salvador. E quando dizemos Salve Maria, estamos dizendo que ela também precisou de salvação. E obteve salvação pelos méritos antecipados de Jesus Cristo na Cruz. Por isto no Magnificat, ensinado pela Igreja Católica, Maria diz que DEUS é seu salvador. DEUS não precisa de relógio ou calendário. Ele é o senhor do tempo. DEUS é atemporal e não está limitado a tinta e ao papel, mas pode literalmente todas as coisas. Maria foi salva pelos méritos antecipados de Jesus Cristo. Mas é preciso ler o texto até o final e perceber que a mediação ali descrita faz referência a redenção do gênero humano. Ora, quando alguém pede oração do pastor ou de outro crente está pedindo por salvação ou por graças ? Seria o caso de se dizer para esta pessoa que vá direto a Jesus. E quem pensa que Maria está morta e não pode interceder comete outro erro. Elias e Moisés estão vivos na transfiguração e o ladrão da cruz recebeu a promessa de Jesus que ainda naquele dia estaria com ele no paraíso. Outra coisa. Quem se obrigou ao "Só a Bíblia" foi o protestante. Não o católico. Seguimos o magistério da Igreja, coluna e sustentáculo da verdade(Timóteo). O Só a Bíblia é um critério criado por Lutero e copiado pelos protestantes. Não estamos obrigados a provar nada pela Bíblia. Aliás, o protestante antes de gritar "Só a Bíblia" deveria provar para si mesmo onde está na Bíblia que este critério deve ser utilizado. Paulo mandou que guardássemos as tradições do que nos foi ensinado(Trnamissão oral) e a mesma Bíblia diz que muitas outras coisas foram ditas e feitas por Jesus e as quais não foram escritas. O protestante segue o critério criado pelo homem Lutero. Os católicos seguem o magistério da Igreja e a Bíblia que é filha da igreja e não sua mãe veio a confirmar tal assertiva. Protestantes: "Leiam a Bíblia."

Fábio Vaz disse...

Prezado Anônimo,
Seu esforço para defender a idolatria romanista revela uma profunda ignorância sobre a Bíblia e sobre a História. Sugiro que você procure informações acerca da história do catolicismo romano, e assim verá o quanto os papas se contradisseram ao longo dos séculos, e o quanto o magistério romano se enganou. Não confie a sua eternidade a homens falhos que se escondem atrás de uma instituição supostamente infalível. E não se esconda atrás do manto do anonimato, mesmo que seja para defender algo tão monstruoso quanto a idolatria.
1) Jesus Cristo é, sim, o único Mediador entre Deus e os homens. E todo cristão tem acesso direto a Deus, sem depender de intermediários, porque Jesus Cristo, e somente Ele, abriu esse caminho para nós (Jo 14.6; 1Tm 2.5; Hb 10.19,20; 1Pe 2.9). Pedir a um pastor, ou a um outro irmão em Cristo, que ore por alguém, é uma coisa. Outra coisa, e bem diferente, é orar aos mortos, e pedir a intercessão dos mortos, acendendo-lhes velas, prostrando-se diante de suas imagens e suplicando favores divinos a eles. Isso é idolatria, meu caro Anônimo. Sim, todos podem ir direto a Jesus!
2) Sim, Maria está morta e não pode interceder. Ela não pode ouvir as orações de milhões de católicos, porque se pudesse, ela seria onisciente, seria Deus (ou melhor, Deusa). Neste momento a alma dela está na glória celestial, desfrutando da presença de Deus juntamente com muitos outros remidos em Cristo, e não pode responder a nenhum vivo nem ouvir oração nenhuma. Orar a Maria, ou a algum de seus incontáveis santos e santas (Deus aparentemente não é suficiente), além de idolatria, é necromancia (leia Dt 18.9-13; Is 8.19,20). Leia a Bíblia!
3) Você mencionou a transfiguração. Os Apóstolos não ofereceram orações a Moisés e Elias, nem mesmo falaram com eles, mas dirigiram-se a Jesus unicamente. E ainda ouviram a voz do Pai: "Este é o meu Filho amado; ouçam a Ele!".
4) Só a Bíblia, ou melhor, Sola Scriptura, Somente as Escrituras. Leia Pv 30.5,6; leia a argumentação de Paulo em 2Tm 3.14-4.5; leia a Bíblia! Caro Anônimo, leia a história do catolicismo romano, veja o comportamento ímpio e as declarações heréticas dos papas, veja o teor e os resultados das discussões dos concílios. Poucas coisas são tão poluídas neste mundo quanto o "magistério" romanista. Qualquer livro de História pode provar isso.
5) O Sola Scriptura não foi criado por Lutero, foi a resposta de homens piedosos à impiedade católica. Foi por se afastar da Bíblia que o romanismo transformou-se numa aberração que envia diariamente multidões ao inferno. A Bíblia é a mãe da verdadeira Igreja, e não o contrário como você afirma. As Escrituras são anteriores à instituição da Igreja e qualquer historiador pode demonstrar isso.
6) Finalmente, meu caro Anônimo, você não refutou nem um único versículo de meu texto, e nem um único argumento, biblicamente. Talvez porque o povo católico, infelizmente, seja pouco habituado à leitura da Bíblia. Deixo-lhe um conselho: não confie sua segurança eterna a homens falhos, e muito menos a ídolos inventados pelos homens. Confie em Jesus Cristo e leia a Bíblia.

Vinício disse...

Prezado e estimado Pr. Fábio, graça e paz!

Como você sabe, estou preparando o meu TCC que tratará de fazer uma comparação entre o desenvolvimento histórico-teológico romano e o reformado. Por isso, estou assinando o site do Padre Paulo Ricardo (Christo Nihil Preaponere - "nada antepor ao amor de Cristo"). Curioso, não? Logo a IC que se antepõe ao mundo como "sacramento"... Mas o fato é que tenho acompanhado as suas aulas de catecismo, de História da Igreja e outros posts dele. Vou te passar a minha impressão: o homem quer ser bispo! Sim. O seu site pretende ser um site de apologética, mas na verdade visa a sua auto-promoção. Ele gosta de estar na mídia, na Canção Nova, etc. E escolheu usar uma tática muito antiga, a do inimigo comum. Não há igreja mais dividida do que a IC hoje. Entretanto, em seus posts ele, como um sofista muito bem treinado, desvia a atenção dos jovens católicos do caos que sua igreja vive "batendo" nos evangélicos. Ele não é uma pessoa séria, intelectualmente honesta. Existem católicos sérios, mas este não é um deles.
Grande abraço!

Fábio Vaz disse...

Grande abraço, Vinício, que Deus o abençoe em seu TCC!

Anônimo disse...

O que o protestante não consegue entender ou não queira entender é que nós católicos não estamos obrigados a defender tudo pela Bíblia. Quem obrigou-se a defender tudo pela Bíblia foi o protestante quando aderiu a Lutero homem. A própria Bíblia não fala de si própria como única fonte de revelação. O apóstolo Paulo nos orienta a guardármos a tradição de tudo que nos foi ensinado. Quando alguém pede argumentos bíblicos deve pedir antes de tudo aos seus próprios pares, pois os católicos não estão obrigados a sustentarem sua fé pela Bíblia. Ora, a própria Bíblia diz que Jesus disse e fez muitas outras coisas que não foram escritas. A pergunta que o protestante não faz a si mesmo é de onde ele tirou que tudo deve ser defendido pela Bíblia. Como fizeram os cristãos dos 350 anos iniciais da era cristã que não tinham Bíblia ? a Bíblia define a Igreja como coluna e sustentáculo da verdade e não si mesma como tal. O que é a Bíblia ? A Bíblia é o testemunho da verdade. A verdade plena é Jesus Cristo, caminho, verdade e vida. E seu sustentáculo é a Igreja conforme se vê em Timóteo. E DEUS ? DEUS não está restrito a tinta e ao papel, mas é o verbo encarnado e a palavra viva. DEUS é criador e Bíblia é criatura. E se a Bíblia para o protestante responde todas as coisas, como é possível que cada seita tenha uma doutrina divergente da outra ?

Fábio Vaz disse...

Prezado Anônimo,

É claro que nós, protestantes, sabemos perfeitamente que os romanistas não levam a Bíblia a sério. E pelo visto, vocês não têm dificuldade somente com a Bíblia, mas com todo tipo de leitura! Você não leu minha resposta anterior sobre a suficiência da Bíblia? Não é a Igreja que sustenta a Bíblia, mas a Bíblia que sustenta a Igreja. E o catolicismo romano é uma religião falsa justamente porque despreza a Bíblia, assim como as demais seitas pseudocristãs. Vá ler a Bíblia e abandone a idolatria, querido.

Anônimo disse...

Como é que você sabe que tudo deve ser provado pela Bíblia.

Jesus não desceu do céu para te dizer isto.

Nem você ouviu de um anjo que tudo deve estar na Bíblia.

Jesus não pregou a Bíblia.

A Igreja não ensina que tudo está na Bíblia e se ensinasse você não aceitaria já que rejeita a Igreja.

De onde você tirou que a Bíblia deve ser aceita como palavra de DEUS ?

Eu creio na Bíblia porque a Igreja me disse que devo crer e que ela é a palavra de DEUS infalível.

E você que rejeita a Igreja ? De onde tirou que ela é a palavra de DEUS ?

Como você pode saber desta verdade a não ser pelos homens dos quais você deveria desconfiar ?

A Bíblia não ensina Sola Scriptura. E se ensinasse...bem você conhece o conselho de Jesus. Ele dá o testemunho do pai e o pai dá testemunho do filho. Portanto, se a Bíblia se auto definisse como coluna e sustentáculo da verdade e se dissesse de si própria a única fonte de revelação, tal testemunho deveria ser tido por inválido.

Teu problema é que você só lê o que te convém. A Bíblia diz claramente que a Igreja é coluna e sustentáculo da verdade e você contrariando a Bíblia jura seguir faz da própria Bíblia a coluna e sustentáculo da verdade.

Ora meu caro, a Bíblia é filha da Igreja e não sua mãe.

Sem a embromação costumeira protestante.

Me diga tuas fontes divinas ou humanas para concluir que a Bíblia é a palavra de DEUS e que a Bíblia é a única fonte de revelação/única regra de fé. Me diga ainda como você sabe quais são os livros inspirados e os livros que devem ser rejeitados. Mas cite fonte divina. Nada de ensinos humanos.

Fábio Vaz disse...

Caríssimo Anônimo,

Não vou repetir os argumentos já elencados ad nauseam acima, respondendo a outros católicos covardes que se escondem sob o manto do anonimato (a menos que você seja o mesmo Anônimo dos comentários anteriores).

Simplesmente direi: você termina sua patética defesa do paganismo católico-romano dizendo: "Nada de ensinos humanos". KKKKKKK Faça-me o favor!!! Nada de ENSINOS HUMANOS??? Um idólatra que segue cegamente os ditames da "Igreja" católica (leia-se: papas - que são humanos - e concílios - formados por humanos, penso eu) bradando "nada de ensinos humanos"??? Huhuhuhauhauhauhauha realmente a idolatria idiotiza as pessoas...

Anônimo disse...

Prezado, inicialmente, peço desculpas pelas declarações do padre Paulo Ricardo. Foi desnecessário. Justo ou injusto, o fato é que ninguém gosta de ser chamado de otário, mariolátra, idólatra, etc...

A mansidão ensinada por Jesus deveria alcançar a todos que se dizem cristãos.

Quando o pastor do Bispo Macedo chutou a santa uma freira católica disse: "Como cristã lhe dou o meu perdão."

Segundo, não vejo que diferença faz declarar-me como anônimo ou não. Tal circunstância não muda o debate. Mas se é importante para ti, pode me chamar de Dani Acioli.

Parabéns pelo empenho democrático. Não voltarei a polemizar, visto que é justo que o dono do blog tenha a última palavra.

Vou apenas te passar o que é ensinado para as crianças a partir dos 07 anos de idade no catecismo da Igreja Católica.

Assim, a partir de agora, quando alguém te disser que adoramos Maria, por exemplo, você poderá ter certeza de que tal informante se trata de alguém ignorante ou de má-fé.

Abraços.

Fábio Vaz disse...

Dani Acioli,

Sei perfeitamente que os católicos afirmam não "adorar" Maria ou os seus inúmeros santos e santas (Jesus, pelo visto, não é suficiente para o catolicismo romano). Afirmam, sim, "venerar" Maria e os santos - sim, com as diferenças acadêmicas de latria, dulia e hiperdulia. Digo "acadêmicas" porque quando um católico romano se ajoelha, acende uma vela e dirige suas orações para um santo, o que ele está fazendo de diferente do que se estivesse se ajoelhando, acendendo uma vela e orando diante de uma imagem de Jesus??? Pense bem: quantos milhares, ou talvez milhões, de católicos romanos, estão rezando, neste exato momento, para Maria e para outros santos e santas do panteão católico? Porventura, para ouvir todas essas orações, Maria e os santos não deveriam ser oniscientes? Querido, Deus não compartilha a Sua glória com ninguém.