sexta-feira, 16 de abril de 2010

LUTERO ESTÁ FAZENDO FALTA HOJE!


“Vede meus caríssimos irmãos e senhores, que Satanás não cessa de perseguir a nosso Salvador e Mediador Jesus Cristo e que, no que lhe for possível, impede pela doutrina ímpia dos heréticos, por meio de escândalos e perseguições dos tiranos, que a salutar doutrina na justificação permaneça pura na igreja, como, porém nos foi dado, pela inefável misericórdia de Deus, que essa nossa igreja e todo aquele que concorda com essa doutrina tenha razão pura e certa de tratar e transmitir a doutrina cristã, devemos agir com a máxima diligência para que ela se conserve pura e que, quanto depende de nós, seja transmitida pura a posteridade, e que de modo algum admitamos que o artigo da justificação seja por uma maneira diferente ou nova de ensinar, especialmente enquanto nós vivemos, nem demos ocasião a nossa negligência para que Satanás irrompa de novo na igreja, incitando inúmeras seitas e escândalos. Não devemos preocupar-nos somente como salvar-nos, mas temos que ter o máximo cuidado para que a posteridade não receba mentiras e erros sob a aparência da piedade ou da verdade. Malditos, no entanto, os que são ou foram os autores desse horrendo mal”(1)
Rev. Dr. Martinho Lutero,
Disputatio prima contra Antinomianos
18 de Dezembro de 1537.

Martinho Lutero já há muitos séculos espera a ressurreição, homem notável em muitos aspectos, é impossível lê-lo e permanecer impassível, ou se apaixona ou odeia-se o que escrevia e como pensava. De tudo o que escreveu li alguma coisa apenas, sempre que sinto falta de uma mente vigorosa vou a Lutero, não endeusando, pois ele era homem como qualquer um, mas por que, era homem de Deus, apaixonado pelo Cristo Salvador e sua Escritura Sagrada.
Lutero Faz falta hoje, pois o que mais dói, não é a violência dos maus, mas a omissão dos bons (2). Não que estejam todos calados, mas digo isso pela “força” com que defendem o evangelho, ínfima pelo que se poderia fazer, mas a isto se explica, ou tenta-se, usando a palavra “ética”. Mas será que não daremos conta pela nossa negligência por temor de sermos classificados de anti-éticos, reacionários, arrogantes? Afinal de contas, mesmo calados já somos assim taxados.
Lutero faz falta hoje. Cada vez que ouço o que se diz ser “evangelho” o que na melhor das hipóteses é uma doutrina diabólica de escambo e maracutaias financeiras, onde se prega: “contribua para ser abençoado” e “exija isso e aquilo de Deus”. Neste caso, Tetzel era melhor, ou deveria dizer, “menos pior” do que estes cafajestes da religião. Lutero alçou a voz contra essas infâmias e as expôs como elas realmente são, lixo e da pior espécie, ensinam a depositar em contas bancárias para beneficiar homens “ministries”, e que ao tilintar da moeda no cofre bancário a benção chegará voando ao ofertante. A isso, Martinho retruca: “é certo que ao tilintar da moeda na caixa, pode aumentar o lucro e a cobiça...”(3).
Hoje alguns querem viver para a glória de deus, não me enganei ao escrever deus com letra minúscula, pois não se trata do Deus cristão, mas da divindade pagã que necessita ser manipulada pelo homem-todo-poderoso, que pode determinar bênçãos financeiras, curas, unções, que recebe “e-mails” desse deus, um deus que não conhece nada do futuro, pois se engana, volta atrás, muda e fica a roer unhas esperando o próximo passo do todo-poderoso-homem.
E para a glória desse deus, que está ainda meio indefinido de nome, não se sabe ao certo se chama-se Mamon ou Baal, certo é no entanto, que desde a antiguidade seus súditos têm tentado influenciar a Igreja, desde Datã e Abirão indo a Ananias e Safira, chegando até os dias atuais com todos os líderes da religião financeira, que não têm nem vergonha de colocar suas próprias fotografias na frente de seus templos. Quanto a seu predecessor – sim, eles não começaram sua vida de lucros agora - é bom lembrar também de Simão o mágico. Que, diga-se de passagem, é o que logrou mais seguidores a esse deus financeiro e obsceno que estão ensinando por aí.
Para a glória desse deus, tudo que é cristão, deve ser mais caro, desde bugigangas até livros de auto-ajuda que, aliás, devem ser caros mesmo, para que pouca gente leia essas imundícies. Quando penso que nada mais pode ser dito de estúpido na área da religião, aparece sempre outro superando, e o que é pior, sempre tem gente para imitar, aplaudir e financiar essas besteiras.
Lutero faz falta hoje. O misticismo tem caracterizado a grande massa dita evangélica, de tão heterogênea, fica difícil classificar quem é quem, o que é o que. Quando os “profetas” que falavam com Deus face a face intentaram entrar na universidade para ensinar nas cátedras, Lutero disse não. Deus já falou através da Escritura, e vivemos em tempos piores do que o do velho reformador, o Misticismo está por todo o lado que se olha, de um lado o G12, do outro o genérico M12, do outro estão os “apóstolos”. Ordenados por quem? São apóstolos para todos os gostos, é só comprar, sim, tem que pagar, de graça nem a salvação mais. Do outro lado estão os “profetas” desta geração, profetas que não seguem a Deus, que tem visões de barriga cheia, que pedem fogo, anjos, revelações estranhas, carros, mansões, prosperidade, só não falam a verdade.
Lutero faz falta hoje. Quando a falsa erudição quis intimidar a doutrina bíblica da eleição por meio da graça soberana, o reformador elevou a voz e não se calou, escrevendo um dos maiores tratados sobre a livre graça da salvação intitulado “Da Vontade Cativa”. No entanto quando olho para seminários confessionais cheios de professores de “teologia” que não crêem nas Escrituras, fico escandalizado.
Fico a ouvir alguns amigos que ainda estão a estudar, falarem sobre seus Mestres e reitores que comparam inspiração bíblica a psicografia. Que Jesus não ressuscitou fisicamente. Estes imbecís deveriam esvaziar fossas, como se fazia há 80 anos, pois este seria o trabalho que melhor lhes caberia, e isso gratuitamente para não desprezar as pessoas nobres que fizeram este trabalho no passado para levar o justo sustento às suas famílias.
Quem despertará estes professores de seu sonho de erudição, negando a divindade de Cristo, refazendo o Evangelho retirando seus “mitos”, filosofando inutilmente sobre suas intenções de cientificar e contemporizar a igreja, querendo dar uma resposta cristã à ciência que já mudou mais de 5.000 de seus preceitos até agora. Os milagres bíblicos não existem, insistem eles, isso é mito, o Cristo é ressuscitado somente na proclamação (“querigma”, palavra que adoram usar para parecerem mais eruditos) de seus seguidores, dizem tais falastrões idolatrados por “cultíssimos” cavalheiros cristãos. Dizem crer em Deus, mas descrêem do que Ele diz, e tentam refazer Sua mensagem. A esses, representados por Bultmann, Tillich e outros, Lutero replica: “Também aqui mais uma vez, confundes e misturas tudo, como é teu costume, igualando as coisas sacras às profanas, inteiramente sem qualquer distinção, e mais uma vez incorreste em desprezo contra a Escritura e contra Deus”(4)
Esses estúpidos mestres que nunca conseguem descer do pedestal de excremento que fizeram para si, de lá, do alto de seus pedestais não contemplam a verdade que trouxe esperança aos mártires, confessores e cristãos em todas as épocas e em todas as situações.
No seu afã de intelectualidade, não fazem o teste bibliográfico com a Bíblia, assim como se faz com outros livros históricos, não aceitam a evidência interna das Escrituras nem a evidência externa. Afinal de contas, para que serve um Messias morto?
Os “críticos da forma” passam tantos anos se detendo em alguns detalhes que se acham grandes conhecedores e inquestionáveis sobre o que falam, no entanto não há unanimidade em seu julgamento preconceituoso da Escritura e de seus escritores.
Não é feita justiça no sentido histórico, não há respeito nem é feita justiça à inteligência e integridade dos primeiros cristãos. Embora reconheçam corretamente o agrupamento tópico extenso do material nos evangelhos, eles vão longe demais ao desacreditar o esboço básico do ministério de Jesus. Embora aprecie a importância do primeiro período oral, ele praticamente não dá peso adequado ao fato de que num espaço de cerca de vinte anos foram iniciadas as fontes escritas e, portanto, o processo da tradição oral não foi tão longo quanto nas narrativas populares e nas primeiras histórias do Antigo Testamento. A tendência liberal para supor distorção radical da tradição na igreja helenista é refutada pelo caráter semítico predominante da tradição sinóptica comum. Os resultados do ensino liberal são deformados por suposições não examinadas, tais como as de que as histórias de milagres não passam de criações tardias e que a Cristologia explícita surgiu primeiro na igreja em vez de na mente de Jesus. (5)
Sabe-se que Jesus é um homem da história, mas não só isso: ele é também Deus, e isso foi reconhecido logo cedo pela Igreja, já seus discípulos entenderam, até mesmo os seus adversários entenderam que suas declarações de ser o Filho de Deus o colocavam como “Deus de Deus”, tal como afirma a Definição de Calcedônia.
Lutero faz falta hoje. Quando os maus governam, a tendência é de os bons se esconderem, e são poucos os que ousam desafiar um sistema endemonizado, guiado por toda e qualquer espécie de trambiques e injustiças, evidenciado pelo cenário político. Não há como não se sentir repugnado, ao ver um degenerado irascível como o presidente do Irã se aproximando para negócios com o Brasil que insiste em não o apoiar. Fico enojado vendo fotos de jornal do encontro amistoso entre Lula e os irmãos Castro na ilha de Cuba, um dos maiores homicidas senão o maior da América Latina, refiro-me ao Fidel e recentemente a seu querido maninho.
Que o Brasil não sabe se comportar como democracia logo se vê, pois o povo engole calado todo tipo de abuso, se resigna a aceitar e murmurar, ao invés de colocar a boca no trombone e fazer estardalhaço. Como brasileiro, incentivo meus compatriotas a aprenderem com os europeus, mas principalmente com os franceses o que é usar a democracia nas ruas fazendo pressão. Não sou radical, mesmo que o seja rotulado, estou indignado diante do que vejo e ouço. O Brasil não tem nem mesmo tradição constitucional, pois teve até mesmo constituição outorgada e uma que foi tomada de empréstimo da Polônia, o que lhe rendeu o apelido de “polaquinha”. Estamos engatinhando na democracia, e isso é perigoso, principalmente quando neste tempo, nossos preceptores constituídos legitimamente brincam com nossa paciência e inteligência, desdenhando da racionalidade humana, políticos nefandos que sabem tudo dos governos passados, mas nada sabem do que assinam e das falcatruas de seu próprio governo; tudo vale para permanecer no poder, disso Maquiavel discorreu fartamente, e parece que conhecia a política brasileira. Toda a semelhança não é mera casualidade.
Termino este pequeno artigo de indignação me dirigindo a todos os fiéis irmãos, que não se corromperam pelo sistema, mas que militam pela causa do evangelho de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Enquanto estamos vivos temos o dever de preservar a doutrina, e nossa união deve estar em torno dela, pois ela é a verdade dada por Deus, as gerações futuras dependem de nosso trabalho hoje, nosso erro os levará ao erro.
E visto que os evangelistas da mídia têm vacinado o povo contra o verdadeiro evangelho, fazendo pior do que vender indulgências, pois vendem toalhas, rosas, sal e toda a espécie de quinquilharias possíveis e inimagináveis, alcemos a voz e vamos dispor do que Deus nos tem dado e não nos acovardar diante de tudo isso que posto está a nossa frente. Este é o desafio de nossa geração, se nada fizermos passaremos a posteridade como aqueles que viveram e não foram dignos de ter estado aqui na terra, e pior ainda, representantes do Reino dos Céus, não podemos e não iremos dormir roncando sendo levados para a morte.
Que Deus nos ampare!
Soli Deo Gloria



__________________________________
(1). Martinho Lutero, obras Selecionadas – controvérsias. Ano1993: Ed. Sinodal: p. 394
(2). Martin Luther King
(3) Tese 28 de Lutero
(4). Martinho Lutero, obras Selecionadas – op-cit.
(5). Filson apud Josh McDowell – ele andou entre nós. Candeia, 1998, p.166.

13 comentários:

Pr. Luiz Fernando disse...

Prezado colega Rev. Geremias,
excelente texto e bastante pertinente. Sua comparação com Lutero foi excelente. Suas denúncias e indignação fazem eco com outros que não se satisfazem com nada menos do que a pura Palavra. É preciso sim apontar para a verdade, mesmo que isso nos custe muito. Continue a escrever e espero que isso ocorra constantemente. Parabéns.
Um abraço
Em Cristo

Cleonice disse...

Geremias
parabéns seu texto foi ótimo, é disso mesmo que precisamos, de alguem que fale com precisão e refute esses impostores que se dizem cristãos.
Estou sempre acompanhando o blog.
siga sempre escrevendo.

Rev. Geremias Vale disse...

Pr. Fernando
fico feliz que tenha gostado, e realmente precisamos empunhar a verdade, memso que isso nos uste caro, seu comentário e seus artigos sempre são motivos de regozijo.
abs
Rev. Geremias

Rev. Geremias Vale disse...

Oi, Cleonice
que bom que tenha gostado, siga sempre acompanhando o blog
abs.

Josué disse...

Muito bom esse comentário que o nobre reverendo fez falando sobre o Lutero sabemos que o mesmo foi um grande homem usado por Deus, pena que esses grandes ''homens não seguiram ele em erudição e fé!!
Que mais comentário desse porte venham pra nos aprimorarmos a nossa espiritualidade e a noosa conduta como cristãos e dizer não a esses pseudo profetas!!!
Parabéns!!!!!!!!
Abraços!!!!!!!!

Rev. Geremias Vale disse...

Caríssimo Josué
Realmente concordo com suas palavras, faz falta a erudição como também a fé de Lutero, Que Deus levante homens íntegros que não sejam corrompidos pela Barra de Ouro.
agradeço a sua participação no blog
abs

Fábio Vaz disse...

Excelente post! Fica cada vez mais patente a necessidade de uma nova Reforma. Lutero, Calvino, John Knox, fazem muita falta hoje, bem como homens do calibre de George Whitefield, Jonathan Edwards e Charles Spurgeon, entre outros. Que os verdadeiros cristãos sejam tomados por uma "ira santa", uma "santa indignação" em vista de tudo o que está acontecendo na igreja dita "evangélica" da atualidade, e tomem as medidas cabíveis e extremamente necessárias que nossos tempos exigem. Sola Scriptura!

Rev. Geremias Vale disse...

caríssimo Fábio
que bom que tenha gostado, me alegra muito, pois em termos de Teologia, a sua erudição é notória e sua indignação faz eco com a de tantos outros que querem dizer um basta a tanta picaretagem religiosa, realçando que precisamos realmente de uma nova reforma, mas reforma igual a do Século XVI e XVII.
forte abraço

Leda Machado disse...

Seu Artigo está excelente. A carência de uma cultura aprimorada e a falta de um aprofundamento nas coisas de Deus tem oportunizado que pessoas menos preparadas para liderar usufruam da verdadeira Teologia como um simples manual do usuário, perdendo, às vezes, a sensibilidade que deve-se ter ao tratar assuntos de cunho espiritual. Shalom!

Rev. Geremias Vale disse...

Leda
seu comentário é irretocável, prontamente se percebe exatamente isso que está diante de nós hoje em dia, parece que a piedade virou fonte de lucro financeiro, desprezando o verdadeiro espírito cristão.
abs

Leda Machado disse...

... E em nome do espírito cristão, fala-se emevangelismo a todo custo, sendo que muitas vezes o nome de Deus torna-se secundário e não é engrandecido. Engrandecem-se os homens , fazendo grandes campanhas para acrescentar números aos bancos dos templos, e não pessoas salvas e gratas à aliança que foi firmada com sangue inocente. Shalom!

Anônimo disse...

Fazendo falta para quem?????

Fábio Vaz disse...

Para ignorantes como você, Anônimo.